Governo da Bahia

Governo da Bahia

Notícias de Última Hora

Homem que oferecia falso emprego é preso por estuprar 40 mulheres em Salvador e RMS

Criminoso é casado há 12 anos e tem um filho e uma enteada.


Um homem foi preso sob acusação de estuprar 40 mulheres em Salvador e na Região Metropolitana (RMS). Luís Alberto dos Santos, 35 anos, que praticava os crimes pelo menos desde o Carnaval deste ano, atraía as vítimas por um site de oferta de empregos.
De acordo com informações da Polícia Civil, pelo menos 13 casos de estupro praticados pelo homem já foram confirmados. Pelo telefone, ele se passava por mulher para atrair as vítimas, oferecendo oportunidades de emprego.
Apontado como um criminoso em série, Luís Alberto teve o mandado de prisão preventiva cumprido na tarde de quinta-feira (10). Ele foi preso enquanto trabalhava como auxiliar de serviços gerais numa empresa terceirizada, em um shopping localizado na Avenida Octávio Mangabeira, próximo à praia de Jaguaribe.
O criminoso foi apresentado pela polícia na manhã desta sexta-feira (11), na sede da Polícia Civil, na Praça da Piedade, em Salvador, pela diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), Fernanda Porfírio, e pelos delegados da 18ª Delegacia (Camaçari), a titular Thais Siqueira do Rosário e Leandro Acácio da Cruz.
Segundo a investigação, após cometer os crimes, Luís Alberto abandonava as mulheres nas cidades de Dias D’Ávila e Camaçari, onde a maioria dos casos foi registrada. A maioria dos registros é de fevereiro a setembro deste ano.
O caso começou a ser investigado quando a polícia recebeu a denúncia de que muitas mulheres estavam sendo socorridas com sinais de estupro para o Hospital da Mulher, no Largo de Roma. Ao identificar que os relatos eram muito parecidos e que as vítimas relatavam ter caído em um golpe de um falso emprego, a polícia chegou até Luís Alberto. 
A investigação durou cerca de oito meses até a prisão do suspeito, que também possui uma condenação por roubo de veículo. Segundo a delegada Thais Siqueira, a polícia encontrou o veículo que ele utilizava nos crimes, um Chevrolet Montana, de cor preta, atolado em Camaçari. Além disso, o homem também possui passagem pela polícia por estupro em 2007, quando foi preso em flagrante.
“Encontramos o veículo, que possui restrição de roubo e placa clonada. Nele, encontramos também um comprovante de recarga de celular com o número dele. Conseguimos a quebra de sigilo dos dados para chegar até ele”, explicou a delegada.
Falso emprego
Segundo a diretora do Depom, Fernanda Porfírio, Luís Alberto atraía as vítimas por meio de anúncios de emprego através de um site de vendas na internet. Ele se passava por mulher e conversava com as vítimas através de um aplicativo de mensagens para marcar uma entrevista com elas, sempre em locais escolhidos por ele.
Quando as vítimas aceitavam a proposta, o criminoso informava que mandaria seu motorista buscá-las de carro para a entrevista. O motorista em questão era o próprio Luís Alberto, que ao chegar no local escolhido, oferecia água ou sucos batizados com Diazepam, que é um medicamento sedativo, e dopava as mulheres para cometer os crimes. 
Foi assim que ele conseguiu, segundo a polícia, estuprar pelo menos 13 mulheres nesse período. Outros 27 casos seguem sendo investigados. 
“Ele é uma pessoa altamente fria, não se arrepende das coisas que fez. Aparentava ser uma pessoa calma no trabalho. Questionei o porquê dele fazer isso e ele disse que não conseguia parar. Espero que a imagem dele seja bastante divulgada, para que, com a prisão, possamos identificar outras vítimas”, afirmou.
Confissão
Em depoimento à polícia, Luís Alberto confessou os crimes já confirmados e afirmou não se lembrar dos outros. No entanto, durante a apresentação à imprensa, confirmou os crimes e disse não saber o que poderá acontecer com ele daqui para frente.
“Não quero falar nada, a minha família está em risco. Sinto vergonha de mim. Não sei o que vai acontecer comigo. Agora está nas mãos de Deus”, disse.  
Segundo o delegado Leandro Acácio, durante a prisão, o criminoso não demonstrou resistência e aparentou sinais de psicopatia. A polícia chegou a ir com Luís Alberto à residência dele, no Bairro da Paz, e descobriu que Luís Alberto é casado há 12 anos e tem um filho de 9 anos e uma enteada de 15. Chegando ao local, ele se negou a falar sobre o caso com a família.
“É um criminoso muito frio, demonstra traços de psicopatia. Ele afirmou que não conseguia parar de cometer os atos. Fomos até a casa dele e, quando a esposa perguntou o que estava acontecendo, ele respondeu: 'É isso mesmo, siga a sua vida'. Sem esboçar nenhum tipo de sentimento. Um criminoso em série com transtorno psicológico muito grande", explicou o delegado. 
Ao ser questionado se já abusou do filho e da enteada, ou se foi molestado quando criança, Luís Alberto negou e disse que jamais seria capaz de tocar em seus filhos. 
Preso, o homem está à disposição da Justiça e seguirá para o sistema prisional.   (Correio)