Governo da Bahia

Governo da Bahia

Notícias de Última Hora

Família de empresário morto por Iuri Sheik pede indenização de R$ 1 milhão

A família do ex-sócio da banda Black Stille, William Oliveira, que não resistiu e morreu após levar dois tiros no último dia 23 de junho, durante uma festa de São João em Santo Antônio de Jesus, entrou com uma ação indenizatória de R$ 1 milhão contra o empresário e digital influencer Iuri Sheik. Ele é o principal suspeito de cometer o crime e, segundo a polícia, já confessou o homicídio em depoimento.

O advogado Gabriel Bonfim, que representa a família de Will, como era conhecido, contou que o pedido foi encaminhado para a 5ª Vara Cível e Comercial de Salvador na tarde desta quinta-feira (4). O valor, segundo explica, é para auxiliar as três filhas da vítima, que dependiam do sustento do pai para sobreviver. As meninas têm 9 anos, 7 anos e pouco menos de dois meses de vida. 
Além da indenização, a família também acionou a Justiça com um pedido de pensão por morte no valor de um salário mínimo (R$ 998,00) para cada uma das meninas. Se o pedido foi deferido, Iuri Sheik pagará mensalmente o valor até que elas completem 18 anos.
Iuri Sheik está preso (Foto: Alberto Maraux/SSP-BA)
De acordo com Bonfim, o valor pedido de indenização leva em conta alguns fatores. “Temos uma criança de 40 dias que vai ter 18 anos até o término do pagamento, temos uma criança de sete anos e outra de nove. Então, quando se juntam esses valores, além do próprio dano moral por conta do abalo psicológico, já que as crianças estão fazendo tratamento com um psicólogo infantil, justifica esse valor. É um cálculo entre o valor do dano material, moral e o pedido de pensão, até porque é preciso pagar as escolas das crianças, já que, sem dinheiro, elas terão que parar de estudar”, declarou o advogado, que deu entrada no processo na tarde desta quinta. O documento aguarda despacho do juiz.  
O CORREIO teve acesso ao pedido da ação indenizatória. O documento, que justifica o pedido com a necessidade das filhas Will, tem fotos anexadas de Iuri Sheik passeando de helicóptero e lancha. Perguntado se a 'ostentação' do digital influencer foi levada em consideração para se chegar ao montante de R$ 1 milhão, Bonfim respondeu: “É o binômio possibilidade/necessidade. Mostrei nos cálculos que as crianças têm necessidades e ele mostra que tem possibilidades. Então, justifica que na parte do dano moral o valor seja maior”. 
O advogado disse ainda que o digital influencer será comunicado em breve da ação. “Ele será convocado para audiência e, depois, terá um prazo para apresentação de resposta, se não tiver acordo. Na verdade, esse primeiro momento é um pedido até para se chegar na possibilidade de acordo, dele poder mostrar que está recompensando a família. Foi pedido um valor, mas não quer dizer que o juiz irá dar”, finalizou.  
Enterro de Will teve comoção de parentes e amigos (Foto: Gabriel Amorim,/CORREIO)
Relembre o caso
O empresário William Oliveira tinha 28 anos e era ex-sócio da banda de pagode Black Style quando foi assassinado. O crime aconteceu no dia 23 de junho, um domingo e véspera de São João. Will estava em uma festa em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo, quando encontrou com o digital influencer Iuri Santos Abraão, o Iuri Sheik.

Eles se desenterram e William foi baleado duas vezes no peito. A vítima foi socorrida com vida para o Hospital Geral de Santo Antônio de Jesus, onde foi operada, mas não resistiu aos ferimentos e morreu três dias depois do crime.
A polícia de Santo Antônio de Jesus começou a ouvir as testemunhas e surgiram várias versões sobre a motivação do homicídio, mas todas apontavam Iuri como o autor dos disparos. No dia seguinte, foi decretada a prisão dele e três dias depois Will morreu. Era uma quarta-feira (26).
Iuri Sheik chorou e falou em suas redes sociais após o crime (Foto: Reprodução)
Nessa mesma data, durante a tarde, Iuri Sheik se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Salvador, onde foi ouvido pela primeira vez.
Segundo a polícia, Iuri e Will já se conheciam antes do crime e não se davam bem por conta de fofocas e picuinhas. A vítima teria sido baleada porque se recusou a cumprimentar o digital influencer na festa.
“Todos ouvidos até agora contam que Iuri estendeu a mão e William disse: ‘não vou dar a mão porque não gosto de você’. Então, Iuri foi no carro, pegou a arma e atirou”, contou o delegado Edilson Magalhães, responsável pela investigação, um dia depois da prisão.
Iuri Sheik foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para a realização de exames de corpo de delito e, depois, para o Complexo Penitenciário da Mata Escura, onde segue preso. Correio