Governo da Bahia

Governo da Bahia

Notícias de Última Hora

'Meu pai é possessivo, doentio. Planejou isso', diz namorada de ator assassinado

Isabela Tibcherani, 18 anos, namorada do ator Rafael Miguel, 22, falou sobre o crime que matou o jovem e seus pais, neste domingo (9). Segundo a garota, seu próprio pai, Paulo Curpertino Matias, planejou o assassinato. Ele está foragido.
Em entrevista à Record TV, a menina confirma que o pai tinha um comportamento agressivo, mas garante que nunca imaginou que ele pudesse assassinar seu namorado. 
“O máximo que eu pensei que fosse possível era meu pai agredir ele, de alguma forma, mas algo que fosse possível apartar. Ele já tinha planejado isso, com toda certeza”, lamentou Isabela, que deixou a casa onde morava e está na casa de amigos. 
Rafael ficou famoso desde cedo na TV (Foto: Reprodução)

Ainda segundo Isabela, a mãe dela desistiu de prestar depoimento e não ajudará a polícia durante as investigações. “Minha mãe não está do meu lado, ela disse que não vai dar depoimento, não vai ajudar mais nas investigações. A partir de hoje eu sou sozinha. Eu não estou com medo, não tenho nada a perder. Temo pelas pessoas que estão me protegendo. Ele [pai] nunca aprovou meu relacionamento. Meu pai tem um ciúme possessivo, doentio, não só comigo, mas também com a minha mãe. Ele não gosta de mulher”, falou.
Pai de Isabela era possessivo e ciumento (Foto: Reprodução)
Enterro
Os corpos de Rafael Miguel, 22 anos, e dos seus pais João Alcisio Miguel, 52, e Miriam Selma Miguel, 50, foram enterrados na tarde desta segunda-feira (10), no Cemitério Campo Grande, na zona sul da cidade de São Paulo. Os três foram assassinados na tarde de domingo (9).

Uma das mais emocionadas no cortejo fúnebre, que contou com a música Ave Maria, Isabela, precisou ser amparada. Ela carregava girassóis e um ursinho de pelúcia, que foram colocados no túmulo do ator.
Ao deixar o local, a jovem se declarou mais uma vez para o namorado, com quem estava há um ano e três meses. 
"Rafael salvou a minha vida. Ele foi um herói, os pais deles criaram um príncipe, um anjo", disse.
Quem também compareceu ao enterro foi o ator Gui Vieira, que trabalhou com Rafael em Chiquititas. "Fiquei sabendo à noite. Não entendi. Fiquei sabendo por um colega da novela. A gente ficou muito chocado e até agora não estou entendendo o que está acontecendo. Nosso núcleo na novela era o mesmo, o das crianças de rua, então começamos a amizade. A gente gravava de segunda a domingo.  A gente virou muito amigo", lamentou em entrevista à imprensa.
Gui Vieira, que interpretou o personagem Binho na trama, contou que o parceiro de trabalho estava feliz com a namorada. "Ele gostava demais da namorada. Se perceber nas redes sociais dele só tinha fotos com ela. Ele amava demais ela. Eu conhecia ela de vista. Ele vai me deixar as melhores lembranças e só energias positivas que deixava nas gravações. Ele era muito humilde. Não tinha apego aos bens materiais. Tinha muito talento, se esforçava demais. Ele vai ficar na minha memória pra sempre. Fico muito feliz de ter vivido momentos especiais com ele", completou.
Família
Sobrinha de Miriam Selma, Maria do Carmo Viana contou que a família está bastante fragilizada com o crime. Segundo ela, o casal assassinado deixa uma filha de 13 anos.

"Eles tinham muitos amigos, eram muito queridos. Foi muito cruel, não estou tendo palavras para descrever esse momento, para descrever a dor da família. Eles tinham uma filha pequena, de 13 anos, que ainda não está entendendo o que está acontecendo. Não temos o que dizer, está todo mundo inconformado. Não tem explicação", contou.
Segundo Maria do Carmo, todos já conheciam o comportamento agressivo do pai de Isabela, mas ninguém esperava que ele fosse matar o garoto e seus pais. 
"Sabemos que o pai da Isabela é possessivo ao extremo e ele não permitia às vezes que ela fosse para a escola, que tivesse amizades. E eles se conheceram, se gostaram, o Rafael é uma pessoa de um coração muito bom, queria ajudar e mostrar para o pai dela, junto com os pais dele, que é um garoto de respeito, de família e foi com os pais à casa dela para que o pai dela visse que ele não é qualquer um. Ele é uma pessoa de bem, tem um bom coração", disse.
Embora o namoro dos jovens fosse público, eles costumavam se encontrar escondidos. Segundo Maria do Carmo, eles evitavam ser vistos juntos, por causa do pai da menina. "Quando eles conseguiam sair, eles namoravam escondido. Mas era muito difícil. Ela era muito vigiada. O pai dela é uma pessoa rude, não permitia que ela saísse, que tivesse amizade, é muito possessivo. Todos pegos de surpresa".
Maria do Carmo contou ainda que a conversa entre os pais de Rafael e o pai da namorada foi combinada. "Pelo que eu sei foi uma conversa acordada: 'pai, nós vamos conversar, o pai do Rafael vem aqui para conversar e vamos ficar em paz'. E eles estavam do lado de fora da casa, esperando. E ele falou para ela: 'entra'. Quando ele falou entra, começou", disse ela, que ainda não conversou com Isabela após o crime. "Não consegui nem ver a Isabela. Não sei nem se estou preparada para ver, porque prefiro ter a imagem deles alegres, vivos. Não dá nem para acreditar que isso aconteceu". Correio