Governo da Bahia

Governo da Bahia

Notícias de Última Hora

Advogado da família de empresário morto por Sheik quer imagens de câmera

Em busca de detalhes do assassinato do empresário William Oliveira, 28, que morreu  três dias após ser baleado pelo digital influencer Yuri Santos Abraão, o Iuri Sheik, 31, o advogado da família da vítima quer ter acesso às imagens registradas pelas câmeras da prefeitura de Santo Antônio de Jesus, cidade onde ocorreu o crime.
As câmeras, segundo o gestor do setor de imagem da prefeitura, ainda não conseguiram ser resgatadas. Mas disseram que responderão ao ofício do delegado (Edilson Magalhães, responsável pelas investigações)”, diz o advogado Gabriel Bonfim afirmou
A prefeitura da cidade informou em nota, após a publicação dessa reportagem, que o HD com as imagens das câmeras de segurança de sua sede, que fica perto do local onde ocorreu o crime, “foi disponibilizado para a Polícia Civil assim que solicitado”. O CORREIO tentou contato com o delegado hoje, sem sucesso. Segundo a Polícia Civil, Sheik confessou o crime nesta quinta-feira (27), durante depoimento.
Gabriel Bonfim informou que ainda não teve acesso ao depoimento, o que deve ocorrer na semana que vem. Segundo ele, estão sendo estudadas os tipos de ações judiciais que  serão tomadas, mas a prioridade no momento é buscar amparo psicológico para as filhas do empresário, uma com 41 dias de vida e as outras com 8 e 10 anos.
A motivação, segundo informações divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), aponta para uma rixa antiga entre os grupos de amigos de William e de Sheik.
Embora tenha confessado a autoria dos disparos, o acusado não deu detalhes sobre como adquiriu a arma. Disse apenas que, após a fuga, a descartou na BR-101. A versão apresentada por Sheik e a origem da arma estão sendo investigadas.
Nesta sexta-feira, o Tribunal de Justiça da Bahia informou que Iuri Sheik responde a um processo na Vara de Relações de Consumo, desde agosto de 2018. A autora da ação, que tem o valor de R$ 3.400, é da empresa de táxi aéreo Henrimar, que não retornou ao contato do CORREIO para comentar o assunto.
A reportagem tentou ainda falar com a defesa de Iuri Sheik. Segundo a assessoria de comunicação do digital influencer, os advogados dele são do escritório Daltro & Grasso Advogados, que, procurado, não respondeu ao contato.
Prisão
Iuri Sheik se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira (26), três dias após o crime. Ele chegou à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, em Salvador, horas após a confirmação da morte de Will, de quem era desafeto.

Sheik era considerado foragido desde domingo, quando atirou em Will durante uma tentativa de cumprimento. Havia um mandado de prisão preventiva em aberto contra, que havia sido expedido na segunda (24). Na chegada ao DHPP, ele não falou com a imprensa, mas disse que a ocorrência destruiu sua vida. De origem humilde, Iuri tinha duas lojas de roupas, sendo uma no Cabula e outra na Estrada das Barreiras, onde o CORREIO este nesta quarta. No Instagram, é seguido por mais de 280 mil internautas.
Ele se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) à delegada Clelba Regina Teles, na Pituba,  com advogados. Questionado  sobre a arma utilizada no crime, Yuri disse ter perdido, depois da fuga.
pós se apresentar no DHPP, o acusado teve o mandado de prisão cumprido no Departamento de Polícia do Interior, na Piedade. De lá seguirá custodiado para o Departamento de Polícia Técnica para a realização de exames de corpo de delito e, em seguida, para o sistema prisional,
O caso é investigado pelo delegado titular da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Santo Antônio de Jesus), Edílson Magalhães, que ouvirá o acusado ainda essa semana.  Correio