Governo da Bahia

Governo da Bahia

Notícias de Última Hora

Estudantes voltam a ficar pelados em evento; programação de seminário termina nesta segunda

No sábado (5), alguns estudantes da Universidade Federal da Bahia (Ufba) foram surpreendidos por uma performance um tanto inusitada, que aconteceu no PAF III da universidade: vários estudantes pelados na grama enquanto assistiam uma palestra. Apesar de ser uma manobra ousada, a nudez dos estudantes fazia parte do II Seminário Internacional Desfazendo Gênero, que começou no dia 04, na Universidade, e termina nesta segunda-feira (07). Ainda no sábado (5), aconteceu no Foyer do Teatro Castro Alves, a exposição 'Cu É Lindo' com uma série performática dirigida pelo carioca Kleper Reis. Associada a esta exposição, estudantes criaram uma demonstração independente em frente a uma parede do PAF III em que também se pode ler as inscrições 'Cu É Lindo'. Segundo informações da assessoria da universidade, apesar de concentrar sua programação nas instalações da Ufba, a ideia do Desfazendo Gênero é ocupar espaços além dos muros da universidade, como foi o caso a Residência Universitária, no Corredor da Vitória, onde aconteceu o Caruru da Diversidade. Na ocasião, alguns estudantes voltaram a ficar nus enquanto apresentavam performances em tecido acrobático.
Considerado referência entre os espaços de debates ligados às temáticas da sexualidade e gênero, o evento teve suas 1.500 inscrições esgotadas desde julho, após ampla procura de pesquisadores e ativistas do Brasil e exterior.
Sobre o II Seminário Internacional Desfazendo Gênero
Até então, um dos pontos altos do seminário foi a conferência de abertura, na manhã do sábado (05), no Teatro Castro Alves, quando a filósofa norte-americana Judith Butler abriu oficialmente o encontro. Considerada um ícone mundial nos estudos de sexualidade a partir de livros como Problemas de Gênero, a pesquisadora esteve pela primeira vez no Brasil. Começando por Salvador, sua viagem inclui ainda outras duas cidades: São José do Rio Preto e São Paulo. Ao todo, os quatro dias contaram com seis mesas redondas, 71 simpósios temáticos, nos quais foram apresentados 759 trabalhos, além de 25 minicursos, 25 oficinas, exibição de pôsteres, performances, música, teatro e outras atividades artísticas. Pesquisadores e ativistas de países como Chile, Argentina, Espanha, Portugal e República Dominicana participaram da programação do Desfazendo Gênero. O Seminário Internacional Desfazendo Gênero foi criado em 2013, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, pelo núcleo Tirésias, na época coordenado pela professora Berenice Bento. A proposta foi a de criar um espaço específico para os estudos e ativismos queer no país. A programação completa do II Seminário Internacional Desfazendo Gênero pode ser conferida no site oficial do evento.(Ibahia)